2009-12-31

2010


Com versos do poema “Pedra Filosofal”, do “Movimento Perpétuo” de António Gedeão, e a música e a voz de Manuel Freire, no final de um ano e no começo de outro dizemos aos leitores do JSA que “o sonho comanda a vida” e que…


sempre que o homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos duma criança

……………………………..
Ilustração: Imagem recolhida em Procuro o meu Blog

2009-12-29

Salvaterra de Magos - um roteiro turístico


Já me disseram que se trata de um sítio de construção muito primária, com informações do conhecimento comum e ilustrado com fotografias pouco mais que irrelevantes. Disseram-me até, com algum desdém, que não é senão um modesto trabalho escolar.

Eu tenho uma opinião substancialmente diferente.

De facto, trata-se de um trabalho escolar – um “Projecto Tecnológico” desenvolvido na Escola Secundária de Salvaterra de Magos pelos alunos da Turma F, do 12º ano, do Curso Tecnológico de Multimédia, ao longo do ano lectivo de 2007/2008 sob a coordenação de Teresa Fazenda. Mas é, sem dúvida, o melhor sítio para se começar a conhecer a história e a geografia, a gastronomia e o artesanato do concelho de Salvaterra de Magos.

Aos leitores do JSA, particularmente aos que me têm questionado (por correio electrónico) sobre o concelho em que exerci a actividade profissional desde o início da década de 80 (1982) e a que afectivamente pertenço, eu sugiro uma visita ao (quase ignorado) Roteiro Turístico do Concelho de Salvaterra de Magos.

Depois de Copenhaga


Como escreví há poucos dias, numa breve nota, este ano o tempo solarengo transpôs o Outono e arrastou-se até quase ao Inverno. Que começou menos de uma semana depois do encerramento da Conferência de Copenhaga, com muito frio, chuvas torrenciais, tempestades de neve e ventos ciclónicos que devastaram o país e a vida de milhares de cidadãos, em Portugal e na maior parte dos países europeus.

Se na capital do Reino da Dinamarca os representantes dos diferentes países não se entenderam sobre o estabelecimento de um compromisso comum em relação à prevenção das alterações climáticas, que, um pouco por todo o planeta, pôem em risco a sobrevivência da espécie humana, a natureza manifestou-se expressivamente contra as agressões. Os jornais e as televisões têm sido férteis na divulgação de notícias (ilustradas) com imagens da tragédia e dos dramas que castigam as populações – sobretudo as mais vulneráveis, pobres e sem (ou com escassos) recursos para se protegerem.

Entretanto, enquanto no meu sítio, depois de alguns dias de temperaturas muito baixas, me parece que estou num país tropical (ou numa estufa), questiono-me sobre para que servirá lá para o final do próximo ano (2010) a Cimeira do México

…………………………….
Ilustração: Imagem recolhida em PressEurop

2009-12-23

Viva o Natal


Será que nós podíamos viver sem o Natal?
- Sim, podíamos, mas não seria a mesma coisa!...

Viva, vivam o Natal!

..…………………..
Ilustração: Imagem recolhida em Candy Candy … Un Nuevo Amañecer

2009-12-16

CO2 penhagen: a Cimeira do Clima, em directo


No norte da Europa, na cidade da sereia, sob a égide da ONU decorre a Cimeira do Clima. Até ao próximo dia 18 (09/12/18), data em que ficaremos saber se efectivamente haverá um compromisso universal para se proteger o futuro da humanidade.

Para acompanharem o desenvolvimento dos trabalhos, em directo, e até para poderem intervir activamente, sugerimos aos visitantes acidentais e aos leitores do JSA a consulta dos sítios Climate Voice e COP15.

Faltam poucos dias para o final…

………………………….
Ilustração: Imagem recolhida em
COP15 .

2009-12-14

... E as cegonhas ficaram sem ninho!



Há cerca de um mês anunciei que o regresso das cegonhas representava “o começo de um novo ciclo, o retomar da esperança na vida – apesar das alterações climáticas e dos dissabores do quotidiano”.

Hoje (09/12/14) é com tristeza que informo que o ninho foi destruído. Destruído!

Pelo meio da tarde - fria, muito fria apesar do sol - ao aproximar-me da ponte sobre a Ribeira de Muge reparei que o ninho das cegonhas que acompanhamos não estava lá, no topo do poste. Magoado, parei o carro e registei o facto. Para agir como prometi.

O voo inquieto das cegonhas - ao fundo, numa das fotografias - denuncia que aquele ninho não terá sido o único a ser destruído… Que pena não ter registado a intervenção da brigada da
EDP – que, numa carrinha de caixa aberta, passou diante de minha casa…
……………………….
Ilustração: Fotografias por Duarte d’Oliveira (09/12/14).

2009-11-15

Dr. Marçal, Fernão Marçal Correia da Silva


Desde há alguns meses (desde Maio) que raramente me desloco a Salvaterra de Magos. Por conseguinte, (quase todas) as notícias que (ob)tenho do concelho onde vivi ao longo de quase três décadas são-me transmitidas por colegas e amigos, pelo telefone ou por correio electrónico. Outras eu leio nos jornais da região, nomeadamente no semanário “O Mirante”, que se publica em Santarém.

Algumas notícias magoam-me.

Pela edição (de 09/11/12) daquele jornal para a Lezíria do Tejo, eu tomei conhecimento do falecimento do Dr. Marçal, Fernão Marçal Correia da Silva – um amigo, colega de trabalho no Centro de Saúde. Aposentara-se há alguns anos mas continuou a exercer a função de Médico de Família, com o reconhecimento da população.

Intermitentemente, substituiu a Autoridade de Saúde no exercício do cargo. No tempo em que aos TSA não era permitido legalmente o exercício daquelas funções (por delegação e restritamente na área da Saúde Ambiental) devíamos reunir com frequência. Todavia, para simplificarmos os procedimentos, tacitamente adoptámos um método pouco ortodoxo mas eficiente: eu, ou uma colega dos serviços administrativos, deixava no seu Gabinete a documentação (Pareceres Sanitários, Ofícios, Relatórios…) para despacho e quando nos encontrávamos, no Centro de Saúde ou acidentalmente num café, conversávamos sobre um ou outro caso susceptível de ser (nunca foi) objecto de alguma controvérsia.

O Dr. Marçal, depois de cerca de “53 anos” de exercício da profissão, faleceu “aos 80 anos, devido ao desenvolvimento de um tumor cerebral”. Ao funeral, que se realizou no Domingo (09/11/08), acorreu “cerca de um milhar de pessoas” - para lhe prestar uma derradeira homenagem.

Não voltaremos a saudar-nos, quando nos cruzávamos de carro, nem a tomar café em dois ou três balcões nos quais nos encontrávamos por acaso. Mas ficam na memória os muitos anos que partilhámos. Com amizade.

………………………..
Ilustração: Fotografia recolhida (por scanner) em “O Mirante” (edição de 09/11/12).

As cegonhas: o regresso, o retomar da esperança


Ontem, sábado (09/11/14), pelo meio da tarde outonal, ao transpor a ponte sobre a ribeira que margina o lugar onde se situa a casa onde apascento os dias, fui supreendido pelo voo de uma cegonha. Para o ninho que no passado decidi proteger.

Um pouco mais à frente, estacionei o carro e registei o instante numa fotografia - que partilho com os leitores do JSA. Para assinalar o começo de um novo ciclo, o retomar da esperança na vida – apesar das alterações climáticas e dos dissabores do quotidiano.

……………………
Ilustração: Fotografia por Duarte d’Oliveira (09/11/14)

2009-11-07

José Manuel da Costa Teso: um meteorologista, um amigo


Hoje, pela manhã, enquanto tomava o pequeno-almoço e acompanhava o noticiário da RTP-1, fui surpreendido pela presença de José Manuel da Costa Teso, meteorologista, a comentar os acontecimentos da semana. Depois soube porquê: após tantos anos a apresentar o Boletim Meteorológico, aposentara-se – ou, como o próprio disse, jubilara-se.

Conhecemo-nos há muitos anos, partilhamos a amizade. No tempo em que no Centro de Saúde (de Salvaterra de Magos) se criou o NESC, Núcleo de Educação para a Saúde Concelhio, aberto à participação activa da população, o José Manuel e a (mulher) Maria de Lurdes foram actores importantes na dinamização das actividades. Colaborou, também, na redacção do Boletim “Haja Saúde!” (ainda não dispunhamos da Internet) que criámos para estreitarmos a nossa relação com a população e contribuirmos para uma atitude mais responsável na preservação e na promoção do Ambiente e da Saúde.

Ao longo de tantos anos, todos os encontros foram um bom pretexto para longas conversas sobre os mais variados temas, raramente sobre meteorologia e muito menos sobre ambiente. Foram momentos de evasão, muitas vezes (à boa maneira portuguesa) em volta de uma mesa, bem servida – designadamente num restaurante onde se comia um bom “cozido”. Da última vez, com a Maria de Lurdes, falámos sobre a aposentação – que eu já requerera e que ainda me não foi concedida…

Decerto por culpa minha, porque desde Maio que raramente vou a Salvaterra de Magos, há meses que não nos vemos. Mas talvez agora seja mais fácil encontrarmo-nos. Para eventualmente enquanto saborearmos as carnes, os enchidos e os legumes repormos as conversas em espiral. Até porque eu “descobri” um restaurante onde se come um dos melhores “cozidos” do país… Um restaurante BB – para os leigos, Bom e Barato.

Zé Manel, permita-me uma confidência: nada melhor do que no final de uma longa carreira profissional sabermos dizer: - Cumpri!

……………………………………………………………..
Ilustração: Imagem recolhida em Notícias de Castelo de Vide

2009-10-29

Copenhaga, a capital da esperança


Como se lembra no artigoContagem decrescente para a Conferência de Copenhaga: faltam 40 dias” ontem publicado no site do Parlamento Europeu, a Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas “tem como principal objectivo a celebração de um acordo internacional global que permita reduzir as emissões nos países desenvolvidos, limitar o aumento das emissões nos países em desenvolvimento e financiar as acções destinadas a mitigar os efeitos das alterações climáticas e os esforços de adaptação desenvolvidos pelos países pobres”.

Um objectivo cuja concretização nos deve mobilizar a todos. Para que de facto a capital dinamarquesa seja uma cidade de esperança – Hopenhagen – na concretização de uma política comum para a protecção do ambiente.

Nesta perpectiva, propomos aos leitores do JSA que assinem a Petição do Clima da ONU, Organização das Nações Unidas, se convertam em cidadãos de Hopenhagen e expressem ao mundo a sua esperança: - “When people lead, Leaders follow” (“Quando os povos lideram, os líderes seguem-nos”, em tradução livre).

………………………
Ilustração: Imagem recolhida em Hopenhagen.org

Alterações climáticas: o Verão que não acaba


Aproximamo-nos do final do mês de Outubro. Um mês depois do começo do Outono, os lojistas dizem que não vendem o vestuário de Inverno, que expõem nas montras dos estabelecimentos e que se acumula nos armazéns, e receiam não ter outra alternativa ao encerramento. Não por culpa da crise económica, que (em Portugal) no plano social se poderá traduzir por mais de quinhentos mil desempregados e mais de dois milhões de pobres, mas pelo tempo quente que persiste. Ainda não abandonámos as roupas de verão, há quem continue a frequentar as praias.

De acordo com os boletins meteorológicos a que acedemos, ao longo do dia a temperatura tem sido superior a 20º centígrados, em Portugal e em quase todas as regiões de Espanha – os países europeus (afinal, a Peninsula Ibérica) mais expostos ao sobreaquecimento atmosférico.

A pouco mais de um mês da Conferência de Copenhaga, ainda há quem opte por uma atitude de indiferença em relação às consequências catastróficas das alterações climáticas. Uma atitude que devia ser classificada de crime contra a humanidade. Porque está em causa a sobrevivência da espécie humana, afinal de nós

………………………………….
Ilustração: Imagem recolhida em Parlamento Europeu

2009-10-16

Um Aviso da Direcção-Geral da Saúde...


Enquanto profissional de Saúde Ambiental, eu sou funcionário público. Um funcionário público bastante crítico da burocracia e em particular da carga (burocrática) que incide sobre o exercício da minha actividade profissional.

Hoje, no Diário da República, Série II, reparei num Aviso da Direcção-Geral da Saúde cuja divulgação pública entendo como perfeitamente dispensável e até aberrante. Atentemos no Sumário: - “Lista nominativa do pessoal da Direcção-Geral da Saúde que cessou funções por motivo de aposentação ou de falecimento, no período compreendido entre 1 de Janeiro e 1 de Outubro de 2009”.

Embora não tenha nada a ver com a Saúde Ambiental, observo (aos leitores menos atentos) que pela leitura do Aviso até parece que cessar funções por falecimento é um acto voluntário…

………………………
Ilustração: Imagem recolhida em Emendas e Sonetos

2009-10-15

Água e Termalismo: IV Encontro Internacional sobre Água e Termalismo


Iniciou-se, hoje (09/10/15), em Ourense, no âmbito da Termatalia, “la única Feria Internacional del Turismo Termal de la Península Ibérica”, o IV Encontro Internacional sobre Água e Termalismo. Hoje, o dia foi dedicado à “Jornada Técnica sobre Hidrologia Médica”; amanhã realizar-se-á uma “Jornada sobre Turismo, Innovación Y Sostenibilidad” e no sábado o “Encuentro de Ciudades Termales”.

Por culpa minha, mas talvez justificável, não divulguei em tempo útil a realização da Termatalia. Faço-o agora, porque dos leitores do JSA interessados nesta matéria uns poderão eventualmente obter as comunicações apresentadas e outros ainda deslocarem-se à cidade de Ourense, a capital termal da Galiza, para poderem visitar a Feira e, em qualquer data, percorrerem as “Rutas” propostas pela entidade organizadora.

Eu, que visito Ourense regularmente, já estive na Expourense e conheço algumas das rotas propostas – designadamente alguns dos estabelecimentos termais, num deles já orientei cursos de formação - recomendo a atenção para os temas propostos para análise e discussão e sobretudo a frequência das Termas.

…………………………………….....
Ilustração: Fotografia recolhida em Termatalia, Feria Internacional del Turismo Termal

2009-10-12

Fruta Escolar


Lemos a Portaria Nº 1242, de 12 de Outubro, hoje publicada no Diário da República, que “Aprova o Regulamento do Regime de Fruta Escolar – RFE”, uma portaria que “em complementaridade com a Estratégia Nacional do Regime da Fruta Escolar” se propõe “contribuir para a promoção de hábitos de consumo de alimentos benéficos para a saúde das populações mais jovens e para a redução dos custos sociais e económicos associados a regimes alimentares menos saudáveis”.

Por pudor, decidimos não expor os comentários que nos mereceu. Todavia, depois de confessarmos que a leitura foi um exercício indigesto, não nos inibimos de perguntar: - Será que a Fruta Escolar é uma nova variedade de produtos frutíferos?...

…………………………………..
Ilustração: Fotografia recolhida em Rede de Bufetes Escolares

2009-10-09

Aterros Sanitários: deposição de resíduos


Hoje (09/10/09) o Diário da República publicou a Declaração (Nº 74/2009) do Centro Jurídico da Presidência do Conselho de Ministros que rectifica o Decreto-lei Nº. 183/2009, de 10 de Agosto, que “Estabelece o regime jurídico da deposição de resíduos em aterro, as características técnicas e os requisitos a observar na concepção, licenciamento, construção, exploração, encerramento e pós-encerramento de aterros, transpondo para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 1999/31/CE, do Conselho, de 26 de Abril, relativa à deposição de resíduos em aterros, alterada pelo Regulamento (CE) n.º 1882/2003, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 29 de Setembro, aplica a Decisão n.º 2003/33/CE, de 19 de Dezembro de 2002, e revoga o Decreto-Lei n.º 152/2002, de 23 de Maio”.

Para depois da leitura do diploma, sugerimos aos leitores do JSA que consultem o sítio onde recolhemos a ilustração...

…………………………..
Ilustração: Imagem recolhida em Curso de Geologia Ambiental via Internet da UNESP – Campus de Rio Claro

2009-09-30

De Tetra Pak para a Amazónia


Até recentemente, para reciclagem, as embalagens de produtos alimentares Tetra Pak eram depositadas nos contentores azuis. Actualmente, porém, por sugestão da Sociedade Ponto Verde, essas embalagens – “compostas maioritariamente por cartão” - devem ser depositadas nos contentores amarelos dos Ecopontos.

Porque nem toda a gente tem conhecimento desta alteração, a Tetra Pak, em parceria com algumas autarquias e a Sonae Sierra, decidiu promover uma campanha de informação da população e o concurso “A criatividade é amarela” cujo prémio consiste numa viagem à Amazónia.

Os leitores (de Portugal, continente e ilhas) do JSA interessados em participar no concurso, com peças originais, manuais ou digitais, devem consultar o regulamento no sítio “Sim, é no amarelo”.

……………………………………………………
Ilustração: imagem recolhida em “Sim, é no amarelo”.

2009-09-05

“Respire fundo!...”


Apesar de estar acompanhado por um dos meus filhos, quando transpus a porta de acesso ao Serviço de Urologia do Hospital de Santarém, pelo meio da manhã de segunda-feira (09/08/24), pareceu-me entrar noutro universo. Pairava.

Junto da cama que me foi indicada, sem ninguém me pedir, despojei-me da roupa quotidiana e vestí um pijama. Depois respondi ao questionário (para caracterização do meu perfil) de uma enfermeira, despedi-me do meu filho e sentei-me no sofá junto da janela, ampla, por onde me invadi(ria) para me prender à vida do outro lado.

Deverei ter adormecido. Pela tarde sucederam-se os exames, o saco de soro, a preparação para a cirurgia, a algaliação... No dia seguinte, a descida até ao bloco operatório, a anestesia –, e, depois do recobro, o regresso à enfermaria. Sob a vigilância, constante, das enfermeiras, todas jovens, afáveis e (muito, muito) generosas até na tolerância em relação ao meu comportamento que (embora involuntariamente) não terá sido sempre pacífico.

Progressivamente aproximei-me da linha de separação dos dois universos. Afinal apenas um, de um lado com doentes e do outro com profissionais de saúde – auxiliares, enfermeiros e médicos – que pareciam padecer connosco da dor e da angústia que nos atormentavam.

Uma semana depois de ter ingressado no hospital, quando (pelo amanhecer de 09/08/31) me libertaram da algália – “Respire fundo!”, recomendou-me a enfermeira -, a sensação de alívio trouxe-me uma renovada alegria de viver. E após a alta, pelo princípio da tarde (em 09/09/01), ao sair à rua fui inundado por um rio de luz…

Agora, em casa, em convalescença, apetece-me dizer – e digo-o, que me permitam os leitores do JSA – uma palavra de agradecimento, uma palavra banalíssima mas profundamente significante, a todas as pessoas (em particular às jovens enfermeiras do Serviço de Urologia) que me acompanharam e assistiram neste tempo de infortúnio: - Obrigado!.

……………………………..
Ilustração: Fotografia - “Da cama, pela janela da enfermaria” - por Duarte d’Oliveira (09/09/01).

2009-09-04

Unidade Local de Saúde de Castelo Branco


Por entendermos tratar-se de uma notícia interessante para a generalidade dos profissionais de saúde, reproduzimos o Nº 3. do Comunicado do Conselho de Ministros de ontem (09/09/03) relativo à criação da ULS, Unidade Local de Saúde de Castelo Branco EPE (Entidade Pública Empresarial):

Este Decreto-Lei cria mais uma Unidade Local de Saúde, com a natureza de entidade pública empresarial, concretamente a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, E. P. E., por integração do Hospital Amato Lusitano e de oito centros de saúde pertencentes aos agrupamentos de centros de saúde da Beira Interior Sul e do Pinhal Interior Sul, abrangendo, designadamente, os centros de saúde de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Penamacor, Vila Velha de Rodão, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã, Mação e Vila de Rei.

A criação de mais esta Unidade Local de Saúde permite a integração, numa única entidade pública empresarial, dos vários serviços e instituições do Serviço Nacional de Saúde que, naquele município, prestam cuidados de saúde à população e são por ela responsáveis com o objectivo de garantir uma boa articulação dos cuidados prestados. O modelo organizativo e funcional assenta na estrutura de uma unidade local de saúde aliada a uma gestão característica das entidades públicas empresariais. Espera-se que desta forma a acessibilidade dos utentes aos serviços de saúde da região se torne mais efectiva e melhore a qualidade dos serviços tanto nos cuidados de saúde primários como nos cuidados hospitalares.

Até ao momento foram já criadas a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, E. P. E; a Unidade Local de Saúde da Guarda, E. P. E; a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, E.P.E. e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, E. P. E.".

……………………………………………
Ilustração: Fotografia recolhida em Freguesia de Castelo Branco .

2009-09-03

Manuela Moura Guedes, a Censura… and on going!


Houve um tempo de Censura, um tempo que só os mais velhos lembram, durante o qual a liberdade de expressão esteve condicionada à ideologia política do regime que acabou em Abril de 1974. Passaram-se 35 (trinta e cinco) anos.

Saudosos desse tempo, hoje, através de recursos pouco menos que maquiavélicos, os detentores do poder puxaram os cordelinhos e acabaram com o telejornal de Sexta-feira apresentado por Manuela Moura Guedes, na TVI.

A Direcção de Informação daquela estação televisiva demitiu-se. Vasco Pulido Valente, que no final de cada emissão do telejornal conversava com Manuela Moura Guedes sobre os temas mais controversos da semana, também se afastou. Por razões éticas.

À beira do estertor político, eu não sei se os detentores do poder esfregarão as mãos de contentamento. Admito, recorrendo a uma expressão do conhecimento de todos, que terão dado um tiro nos pés. E que não tardarão a cair. Não neste país em que vivemos, mas neste país que consentimos.

Até brevemente. Porque nós, cidadãos, ainda dispomos de um direito constitucional: o voto – que usaremos no próximo dia 27 do mês em curso (Setembro). Para repormos a liberdade de expressão, e, sobretudo, para escolhermos outro governo.

Entretanto, noutro plano, começou a contagem decrescente para o fim da TVI… On going!

…………………………………….
Ilustração: Imagem recolhida em Aventar.

2009-08-19

Consultórios, clínicas e hospitais veterinários


Atento ao “fenómeno de extrema relevância social” que é a valorização dos animais de companhia, devido "aos seus reconhecidos contributos para a estabilidade emocional e o relacionamento nas mais variadas classes etárias” e aos riscos “para a saúde humana, para a saúde animal e para o ambiente” se não forem “convenientemente cuidados e tratados”, o governo entende que esses animais devem ser “sujeitos a um acompanhamento médico-veterinário periódico em condições que garantam um nível qualitativo de atendimento aferido por padrões de equidade e consistência, técnica e científica”. Consequentemente, aprovou o Decreto-Lei Nº 184/2009, de 11 de Agosto, que “Estabelece o regime jurídico aplicável ao exercício da actividade dos centros de atendimento médico-veterinários (CAMV) e os respectivos requisitos quanto a instalações, organização e funcionamento”.

Curiosamente, ou talvez não, como dispõe o Número 2., do Artigo 1º, “O presente decreto-lei não é aplicável aos centros de recolha, canis e gabinetes médico-veterinários municipais (…)”.

……………………….
Ilustração: Fotografia recolhida em Expresso – “Anúncios classificados: Animais pedem ajuda”.

As cegonhas emigraram…


Há pouco mais de um mês as cegonhas cuja vida acompanhamos desde Fevereiro emigraram. Quando o tempo frio chegar, lá por onde estão, hão-de regressar. Aquí, para o início de mais um ciclo de vida…

…………………………
Ilustração: Fotografia por Duarte d’Oliveira (09/07/12).

2009-08-17

O tempo passa…


Ontem (09/08/16) passou-se mais um ano desde que comecei a exercer a profissão de TSA, Técnico de Saúde Ambiental. No Centro de Saúde de Salvaterra de Magos, em 82/08/16. Para registar a data, não disponho de uma fotografia do velho edifício onde comecei a trabalhar nem das colegas que então conheci.

Lembrei-me, porém, desta fotografia (emprestada) que documenta um instante de pausa na Secretaria Central. Com algumas das colegas. No Centro de Saúde (já noutras instalações, no antigo Hospital da Misericórdia) ainda não havia computadores, sobre as secretárias acumulavam-se montanhas de papéis e viviam-se momentos de boa disposição… Hoje, noutro edifício, construido de raíz, apesar da informatização dos serviços, o papel ainda é abundante e nós… bem, nós estamos mais velhos.
A (de écharpe) já se aposentou; eu já requeri a aposentação e espero. Seguir-se-ão a Idalina (por trás da máquina de escrever), a Delfina, a Dália (de cachecol azul) e decerto que a Dina

O tempo passa. Mas ainda nos lembramos da Feira da Saúde!

2009-08-14

Língua Portuguesa


Eu tenho muita dificuldade em escrever. Tropeço nas palavras, tenho muitas dúvidas sobre a construção de frases e, quando hesito, preciso de consultar algumas das publicações que tenho no meu escritório (em casa) e no espaço (gabinete) de Saúde Ambiental do Centro de Saúde (de Salvaterra de Magos)

Desde há bastante tempo, disponibilizo na navbar (a coluna do lado direito) hiperligações que me permitem esclarecer essas dúvidas mais facilmente. Hiperligações que decidi agora reunir num espaço específico: Língua Portuguesa.

Basicamente, por duas razões:

Uma: os leitores do JSA também poderão ter dúvidas, similares daquelas com que me confronto, e, assim, passam a dispor de um acesso fácil a sítios onde poderão obter os esclarecimentos que procuram.

Outra: é em português que comunicamos.

…………………………..
Ilustração: imagem ecolhida em O Meu Porta-Fólio.

2009-08-11

SPSA vs SESA


Neste tempo de veraneio, na península europeia a que os gregos chamavam de Ibéria, eu proponho aos leitores do JSA - particularmente aos TSA - um exercício (admito que) pouco estival. À maneira de “train your mind”, cliquem em SESA, Sociedad Española de Sanidad Ambiental, e em SPSA, Sociedade Portuguesa de Saúde Ambiental; depois detenham-se na análise de ambos os sítios (“sites”), comparem, e, finalmente, expressem (eventualmente) através um comentário a(s) conclusão(ões) a que chegaram…

………………………………………….
Ilustração: Imagem recolhida em Blog da Rua Nove

Um MSP nas eleições autárquicas


Pessoalmente, eu conheço alguns profissionais de saúde que exercem (ou exerceram) cargos políticos. Sobretudo MSP, Médicos de Saúde Pública, e TSA, Técnicos de Saúde Ambiental. Um desses profissionais de saúde é uma figura razoavelmente conhecida: Mário Durval, AS, Autoridade de Saúde, do concelho do Barreiro e co-fundador da SPSA, Sociedade Portuguesa de Saúde Ambiental.

Por indicação de um leitor do JSA, soube que Mário Durval é candidato (cabeça de lista) à presidência da Câmara Municipal do Barreiro, pelo BE, Bloco de Esquerda, nas próximas eleições autárquicas (09/10/11).

Embora a candidatura haja sido anunciada há cerca de um mês, não é tarde para que os leitores do JSA, e em particular os (e)leitores do concelho do Barreiro, acompanhem a entrevista que Mário Durval concedeu ao diário digital “Rostos”.

……………….
Ilustração: Imagem recolhida em Rostos.

2009-08-10

Médicos de Saúde Pública: dez anos depois…


Hoje (09/08/10), no Diário da República, 2ª Série, foi publicado o Aviso (extracto) Nº 14038/2009 que, de acordo com o respectivo sumário, divulga a “Lista de classificação final, devidamente homologada, dos candidatos ao concurso de provimento na categoria de chefe de serviço da carreira médica de Saúde Pública, conforme aviso n.º 1636/99, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 24, de 29 de Janeiro de 1999”.

Terão sido motivos administrativos a exigir a publicação do Aviso. Mas chamamos a atenção para o pormenor de se tratar da lista dos candidatos a um concurso aberto pelo “aviso n.º 1636/99, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 24, de 29 de Janeiro de 1999”. Há mais de 10 (dez) anos!... Periodo durante o qual – sabemos – um candidato faleceu (António Luz, AS da Amadora) e outro (Nandim de Carvalho, AS de Abrantes) aposentou-se.

……………………………..
Ilustração: Imagem recolhida em “O Combatente”.

2009-08-06

Técnicos de Saúde Ambiental: Nível de Qualificação Profissional


No decurso das duas últimas semanas eu recebi por correio-electrónico meia dezena de documentos relativos aos TSA – e também aos TDT (Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica) – que me comprometi a divulgar. Todavia, eu ainda não tive oportunidade de os ler com a atenção devida.

Parece-me, porém, que uma das preocupações comum em todos aqueles documentos consiste em saber se os TSA deverão ou não ser classificados como Técnicos Superiores (no âmbito da Função Pública) ou como Técnicos Superiores de Saúde.

Ora bem: para esclarecimento destas dúvidas, eu proponho aos colegas TSA (e também aos outros leitores do JSA interessados nesta matéria) que leiam no Portal do IEFP a página dedicada à profissão de Técnico de Saúde Ambiental. No ítem que se refere ao Nível de Qualificação da Profissão está escrito (literalmente) que “O Nível de Qualificação desta profissão, de acordo com a estrutura de níveis integrada no Decreto-lei nº 121/78 de Junho, é o 1 Quadros Superiores(*).

Informação (legal) que me sugere uma pergunta: - Se é, porque não se cumpre?

……………………………
(*) Decreto-Lei Nº. 121/78, de 2 de Junho, que “Define a estrutura dos níveis de qualificação profissional”.

………………………………………
Ilustração: Imagem recolhida em Trabalho em Saúde.

2009-08-05

"Especial Gripe A"


Com diferentes rubricas, além do noticiário quotidiano, o jornal Público criou uma página (um “dossier”) para o tratamento da informação sobre a Gripe A(H1N1). Uma página online onde os leitores também poderão consultar o “Mapa da Gripe”, saber “A origem genética do vírus” e as Respostas para as Perguntas mais frequentes. Uma página especial: “Gripe A”.

Empreendimentos turísticos: algumas alterações ao regime jurídico


Com o objectivo de proceder a “alguns ajustamentos” no “regime jurídico da instalação, exploração e funcionamento dos empreendimentos turísticos”, hoje (09/08/05) o Conselho de Ministros aprovou um Decreto-Lei que altera o Decreto-Lei n.º 39/2008, de 7 de Março, que divulgámos nessa data. Entre outras razões, para responder “à actual conjuntura de falta de liquidez, que tornou inexequível a obtenção da caução de boa administração e conservação dos empreendimentos turísticos em propriedade plural pelo valor inicialmente consagrado” pelo que, ficou decidido, “passa a exigir-se que o respectivo montante cubra o valor anual do conjunto das prestações periódicas”.

… Apesar de se tratar de uma alteração ao regime jurídico, ou talvez por causa disso, MSP e TSA devem ficar atentos ao Diário da República.

………………………..
Ilustração: Imagem recolhida em “The Green Key”.

Óleos alimentares usados: - OAU!...


Na reunião de hoje (05/08/09), o Conselho de Ministros aprovou um Decreto-Lei que, de acordo com o Comunicado, “cria um conjunto de normas para a implementação de circuitos de recolha selectiva de óleos alimentares usados (OAU) e o seu correcto transporte, tratamento e valorização, bem como obrigações no domínio da sensibilização e da investigação e desenvolvimento”.

Depois de tantos discursos sobre a reciclagem dos óleos alimentares usados e de tantos oleões (e até de óleões!...) que nós sabemos estarem instalados nos mais diversos locais (nem sempre os mais adequados), após ter lido o Número 19. daquele Comunicado confesso que não resisti a um juvenil e exclamativo comentário: OAU!...

………………
Ilustração: Imagem recolhida em Câmara Municipal de Loures

2009-07-30

Ricardo Jorge. Elementar, meu caro Dr…


Pelo P2 (suplemento diário do Público) de ontem (09/07/29), soube que se passaram 70 anos sobre a data do falecimento de Ricardo Jorgefundador da Saúde Pública em Portugal”. Licenciado em Medicina aos 21 anos (1879), depois de se dedicar à neurologia, Ricardo Jorge optaria pela Saúde Pública.

Nomeado Inspector-Geral da Saúde (1899), “fundou o Instituto Central de Higiene, que ganharia o seu nome e que ganhou depois o nome de Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge”.

Eu, nós - MSP e TSA não devemos esquecer Ricardo Jorge. Entre outras razões, talvez a menos importante, por ter sido o autor de um dos diplomas cuja efectivididade se manteve durante mais tempo (e que todos nós, os profissionais de saúde pública da minha geração, sabem de cor): a célebre Portaria Nº. 6065, de 30 de Março de 1929 – que foi finalmente (e mal) revogada pelo Decreto-Lei 370/99, de 18 de Setembro (Alínea b) do Artigo 35º - Norma revogatória).

Quando, no tempo presente, nos confrontamos com riscos que nos exigem a observância de procedimentos de higiene básicos, enunciados há 100 anos (1899) para se prevenir o alastramento da peste bubónica (cujo surto ocorreu no Porto), parece-me que evocar Ricardo Jorge é apenas um dever elementar.

……………………………..
Ilustração: Imagem recolhida em INSA.

2009-07-22

Saúde Ambiental: um Guía de Serviços


Quando se analisam as áreas de intervenção e o exercício da profissão dos TSA nos Centros de Saúde, sobretudo nos distritos abrangidos pela ARSLVT, e depois da divulgação de “Os Técnicos de Saúde Ambiental nas Unidades de Saúde Pública”, recomendamos a consulta (on line) do Guía de Servicios de Sanidad Ambiental editado pela Consejería de Salud de la Junta de Andalucía com o objectivo de “ofrecer a los ciudadanos, a los profesionales, a los usuarios, a las empresas, otras administraciones – en definitiva, a todos los sectores implicados o interesados – una información útil y clarificadora de las actuaciones que la Consejería de Salud viene desarrollando actualmente” no âmbito da Saúde Ambiental.

2009-07-21

“Mais Saúde” – um canal de televisão


Mais Saúde” é um canal de televisão (sistema IP-TV), do Alto Comissariado da Saúde, que será oficialmente inaugurado na próxima sexta-feira (09/07/24) por Maria do Céu Machado, Alta Comissária da Saúde, no Hospital de Faro.

Tem como objectivo “informar o cidadão, contribuindo para a sua responsabilização e para a tomada de decisões informadas, dando cumprimento ao Plano Nacional de Saúde nas vertentes da promoção da saúde e prevenção da doença”.

Já “disponível nas salas de espera das unidades de saúde do Algarve”, o canal “Mais Saúde” será futuramente implementado nas restantes regiões do país.

Os Técnicos de Saúde Ambiental nas Unidades de Saúde Pública



Oportunamente (09/07/13), no post que subordinámos ao título de “Saúde Pública: o Papel dos Técnicos de Saúde Ambiental” divulgámos o documento o “Papel dos Técnicos de Saúde Ambiental nas áreas de intervenção em Saúde Pública - 2009” elaborado por um conjunto de colegas que integram o GrASP, Grupo Apoio Saúde Pública. E anunciámos a realização de uma reunião, promovida por Filomena Sampaio (uma das subscritoras), para a análise e a discussão daquele documento.

Não sabemos quantos TSA participaram na reunião, aberta a todos os TSA que exercem a profissão nas unidades de saúde da ARSLVT. Mas sabemos que discutiram o trabalho objecto de análise, apresentaram sugestões, e que, no final, Ana Soares, Carmo Pereira, Filomena Sampaio, Marina Lopes, Sofia Fernandes, Susana Alves e Vanda Pinto, Técnicas de Saúde Ambiental, redigiram um outro documento: “Os Técnicos de Saúde Ambiental nas Unidades de Saúde Pública”. Sem dúvida, um documento qualitativa e substancialmente melhor que o anterior. Mas ainda (muito) redutor da autonomia profissional e dos saberes, atribuições e competências dos TSA

2009-07-20

Higiene pessoal: Salve vidas, lave as suas mãos


Durante alguns anos, na qualidade de Formador, eu orientei por todo o país dezenas de cursos sobre Higiene em diversas áreas, designadamente numa que eu entendo como específica mas que tarda a ser assim reconhecida, apesar da multiplicidade de riscos que envolve: Higiene Termal.

Em todos os cursos, no espaço de Higiene Pessoal, eu insistia num ponto: o reconhecimento das mãos como o principal veículo para a transmissão de agentes patogénicos. Com a colaboração participativa dos formandos, trabalhadores das unidades industriais ou prestadoras de serviços, revíamos os nossos gestos quotidianos e assinalávamos aqueles que seriam susceptíveis de nos expor (ou de expormos os outros) à acção de agentes causadores de doenças. Em casa, na rua, nos locais que frequentávamos e no local de trabalho. Depois, ainda em conjunto, discutíamos estratégias para progressivamente alterarmos os nossos comportamentos e definíamos procedimentos mais correctos para integrarmos nas nas nossas rotinas e protegermos e promovermos a saúde. De cada um e de todos.

Desde então, passaram-se alguns anos. Durante os quais, por todo o mundo, todos os governos implementaram programas de Higiene Pessoal e desenvolveram campanhas de Higiene das Mãos, destinadas à população em geral mas também aos profissionais de saúde. Em Portugal, ainda recentemente, Correia de Campos, ex-Ministro da Saúde, dizia que os médicos deviam lavar as mãos. E quem dizia médicos dizia também os outros profissionais de saúde…

Foi preciso aparecer um vírus - Vírus Influenza A(H1N1) -, que se transmite (sobretudo) por via aérea e se propaga facilmente, para toda a gente começar a adoptar um procedimento que devia ser um hábito regular, rotineiro: lavar as mãos com frequência, particularmente depois de tocar superfícies eventualmente contaminadas. Corrijo: foi preciso que os jornais, a rádio e a televisão começassem a divulgar o número de vítimas - casos de morbilidade (de doença) e de mortalidade - provocados pela Gripe Porcina (*), com orígem no México, para que as pessoas admitissem que são vulneráveis e se apressasem a atender às informações transmitidas pelas Autoridades de Saúde.

Apesar de, em Maio, a OMS, Organização Mundial da Saúde, ter promovido uma campanha (extensível à população em geral) que aparentemente passou despercebida ou foi menosprezada em Portugal: “SAVE LIVES: Clean Your Hands” – ou, em francês, “Mains Propres : Vies Sauvées”.

……………………
(*) Depois, por razões meramente políticas, denominada Gripe A(H1N1).

Um grande passo para a humanidade


Há 40 anos (69/07/20), em S. Romão (Seia), eu não me deitei para acompanhar pela televisão, em directo, a descida do primeiro homem na lua. A emissão, conduzida por José Mensurado, jornalista, foi transmitida pela RTP. Os meus pais e os meus irmãos dormiam.

Tinham-se passado oito anos (61/04/12) desde que Yuri Gagarin, astronauta soviético, fora o primeiro ser humano a viajar no espaço, a bordo da nave Vostok 1, lançada do Cosmódromo de Baikonur, e de nos ter dito, maravilhado, que “A Terra é azul!”.

Nessa noite, cálida, tinha de um lado a Serra da Estrela ainda verdejante e do outro um pequeno écran a preto e branco que me mostrava Neil Armstrong, um astronauta da NASA, a caminhar no solo lunar, pelo Mar da Tranquilidade.

Foi uma noite histórica. Um acontecimento que marcou o futuro de todos nós. Como disse Neil Armstrong, “um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade”.

………………………….
Ilustração: Imagem recolhida em BBC News

2009-07-14

GaiaNet


Com o objectvo de divulgar “informações, reflexões e ações ecológicas relevantes e úteis”, GaiaNet é o nome do Boletim de GaiaFloripa, o núcleo de Florianópolis do GAIA, Grupo de Ação e Informação Ambiental. Coordenado por Rui Iwersen, está disponível na Internet desde Março (09/93/20).

Aos leitores do JSA sugerimos que acompanhem as “Reflexões ecológicas” do coordenador e dos colaboradores de GaiaNet, começando, talvez, pela leitura da Ação Ecológica 6 sobre Saúde Ambiental”.

Desde hoje, no espaço de “Outros sítios, mais saberes…” estabelecemos uma hiperligação para o boletim virtual GaiaNet.

……………………
Ilustração: Imagem recolhida em GaiaNet.

Zonas balneares. Declaração de Rectificação


Embora as correcções sejam mínimas e sem interesse sob o aspecto sanitário, para os leitores mais rigorosos observamos que, hoje (09/07/14), o Diário da República publicou a Declaração de Rectificação n.º 48/2009 que “Rectifica a Portaria n.º 579/2009, de 2 de Junho, dos Ministérios da Defesa Nacional e do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, que considera praias marítimas as designadas como zonas balneares costeiras e praias de águas fluviais e lacustres as designadas como zonas de interiores, publicada no Diário da República, 1.ª série, n.º 106, de 2 de Junho de 2009”.

…………………………..
Ilustração: Praia da Adraga, fotografia por Luis Sousa recolhida em PBase

2009-07-13

Saúde Pública: o Papel dos Técnicos de Saúde Ambiental


Ana Cristina Dias, Carlos Pinto, Filomena Sampaio e José Peixoto são os TSA que integram o GrASP, Grupo Apoio Saúde Pública, criado no âmbito da ARSLVT, Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, com o objectivo (?) de analisarem as atribuições e competências dos TSA nos Centros de Saúde e de apresentarem propostas que favoreçam o exercício da profissão tomando em consideração “a sua evolução a nível académico e de especializações nas diversas áreas de intervenção ambiental”.

Depois de sucessivas reuniões, elaboraram um documento – o “Papel dos Técnicos de Saúde Ambiental nas áreas de intervenção em Saúde Pública - 2009” – que foi agora distribuido (só informalmente?) pelos restantes TSA dos ACES, Agrupamentos de Centros de Saúde da ARSLVT. Com a intenção de promoverem a discussão e de recolherem sugestões e propostas que valorizem o trabalho que estão a desenvolver.

Uma das subscritoras, Filomena Sampaio, propõe a realização de uma reunião – eventualmente amanhã (09/07/14), pelas 16.30 horas, no Rio Sul. E pede que os TSA interessados em participar a contactem por correio electrónico (tsafilomena@cscorroios.min-saude.pt).

Pelas razões que ainda me retêm em casa, e que divulguei oportunamente, eu não poderei estar presente nessa reunião. Lerei o documento e apresentarei no JSA o resultado da minha leitura. No entanto, os colegas não devem ignorar o convite: compareçam e participem activamente.

Guide to public health measures to reduce the impact of influenza pandemics in Europe


Editado pelo ECDC, European Centre for Disease Prevention and Control, o “Guide to public health measures to reduce the impact of influenza pandemics in Europe” é um documento (só disponível em inglês) que “presents a menu of possible public measures to be taken during influenza pandemics, giving public health and scientific information on what is known or can be said about their likely effectiveness, costs (direct and indirect), acceptability, public expectations and other more practical considerations. The ‘ECDC Menu’ aims to help EU Member States and institutions, individually or collectively, decide which measures they will apply”.

Embora o Guia seja uma publicação orientada sobretudo para as autoridades de saúde, os profissionais de saúde pública e os agentes políticos com intervenção nos sectores sociais, decidimos divulgá-lo por entendermos que dispõe de matéria informativa susceptível de interessar à generalidade dos leitores (que dominem razoavelmente a língua inglesa) do JSA.

2009-07-10

Aquecimento global: os seis graus que podem mudar o mundo


No ano passado anunciámos a publicação de “Seis Graus, O Nosso Futuro Num Planeta Em Aquecimento”, livro de Mark Lynas que o próprio autor classificou de Guia – “um guia, grau a grau, para o futuro do nosso planeta”.

Hoje, divulgamos a edição em DVD do filme “Os Seis Graus - que podem mudar o mundo”, de Ron Bowman, produzido pela National Geographic Television & Film. Um filme que é uma “viagem ao futuro do nosso planeta, explorando os potenciais impactos do aquecimento global, grau a grau”.

Ao longo de cerca de 90 minutos, acompanhamos em diferentes regiões do mundo as consequências das alterações climáticas que – como no livro – perspectivam um “futuro potencialmente catastrófico”. No final confrontamo-nos com algumas das propostas cuja implementação é susceptível de reduzir o aquecimento global.

O DVD está disponível no mercado e custa (custou-me) pouco mais de € 7 (sete euros).

Primitivos


Ontem, pelo começo da noite, ao regressar a casa precisei de parar o carro para deixar um rebanho de ovelhas atravessar a estrada de um lado para o outro. Num dos lados estará o pasto, no outro o redil. Quando quase todas já tinham passado, accionei as mudanças para retomar a marcha. Mas não saí do lugar. Uma ovelha ficara para trás, parada no meio da estrada e a olhar para o prado. Depois de alguns instantes, apareceu um cordeirito que a saltitar tomou o caminho do resto do rebanho. Só então a ovelha se afastou.

Não sei por quê mas enquanto conduzia o carro até casa eu surpreendi-me a relectir sobre este episódio e a relacioná-lo com o destino a que nós, humanos, condenamos as ovelhas: apascentamo-las, para lhes extrairmos o leite e a pele, e, depois, ainda lhes comermos a carne…

…………………………………………..
Ilustração: Fotografia por Muchaxo recolhida em Flickr .

2009-07-08

Brasil: Controlo do vírus da Gripe A(H1N1)


Os cidadãos brasileiros constituem a maior comunidade imigrante em Portugal. Muitos desses cidadãos regularmente deslocam-se à terra natal e/ou recebem familiares e amigos de visita.

Também ao longo de todo o ano são muitos, muitos milhares, os cidadãos portugueses que voam para o Brasil – sobretudo de férias.

Brasileiros e portugueses estão informados sobre as medidas básicas que devem adoptar para se protegerem e evitarem a transmissão do vírus A(H1N1). Todavia, como complemento das fontes de informação que já disponibilizámos – no espaço de Arquivo temático clique em Gripe A(H1N1) -, decidimos divulgar o site criado pelo Ministério da Saúde do Brasil: Influenza A(H1N1) - e sugerir a consulta do material de “apoio ao controle da epidemia” que o ministério produziu: clique em “Peças publicitárias” e acesse…

Agir contra a Gripe – um blogue


Considerando que “A análise e comunicação do CENTRO (Centro de Análise da Resposta Social à Gripe Pandémica) tem como base a ideia de que a resposta social à pandemia da gripe deverá ter por base os seguintes princípios:

- Alinhar nas “regras do jogo” um desafio global
- Activar respostas inteligentes nas redes sociais de proximidade
- Inovar em tempo de crise”,

o Centro de Análise da Resposta Social à Gripe Pandémica (da ENSP, Escola Nacional de Saúde Pública) criou o blogue “Agir contra a Gripe”.

O blogue é interactivo, isto é permite a inserção de comentários, a exposição de dúvidas e a apresentação de questões. Comentários que devem ser acompanhados para que “Agir contra a Gripe” seja de facto uma “Pedra de toque para uma resposta social de qualidade”.

The Water Channel – para uma melhor gestão da água


É uma notícia do Boletim Ecodes Nº 84 – Julho/Agosto, da Fundación Ecología y Desarrollo, que partilhamos com os leitores do JSA: o Institute for Water Education da UNESCO criou o Canal da Água, um recurso para entre outros serviços promover uma melhor gestão da água.

The Water Channel dispõe actualmente de 201 vídeos distribuidos por 20 categorias.

2009-07-06

Protecção das captações de água para consumo humano


Em conformidade com o que dispõe o Artigo 37º da Lei Nº. 58/2005, de 29 de Dezembro, a qual “Aprova a Lei da Água, transpondo para a ordem jurídica nacional a Directiva n.º 2000/60/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de Outubro, e estabelecendo as bases e o quadro institucional para a gestão sustentável das águas”, hoje (09/07/06) foi publicada no Diário da República a Portaria Nº. 702/2009 que “Estabelece os termos da delimitação dos perímetros de protecção das captações destinadas ao abastecimento público de água para consumo humano, bem como os respectivos condicionamentos”.

E como não se deve perder tempo, a Portaria entra em vigor já amanhã…

……………………….
Ilustração: Imagem recolhida em SNIRH, Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos.

Información sobre la gripe A/H1N1


Muitos de nós deslocamo-nos com frequência a Espanha. Noto, porém, que, desde que os órgãos de comunicação social começaram a divulgar notícas sobre o grau de incidência da Gripe A(H1N1) no país vizinho, algumas pessoas (designadamente das minhas relações pessoais) deixaram de atravessar a fronteira. Um comportamento humanamente compreensível mas sem justificação racional. Sugeri-lhes – e proponho aos leitores do JSA – que se informem correctamente:

Em Portugal, através do Portal da Saúde: Vírus da Gripe A(H1N1).

Em Espanha, pelo Ministerio de Sanidad y Política Social: Gripe A(H1N1) - Información sobre la gripe A/H1N1.

2009-07-02

“Gripe A(H1N1) – Como se pode proteger a si e aos outros”


Um dos meus filhos regressou há poucos dias de Ocho Rios, na Jamaica, onde esteve de férias. Por curiosidade, também conversámos sobre a informação que lhe teria sido facultada sobre o virús da Gripe A(H1N1): 2 folhas A4, distribuidas pela Agência de Viagens: uma (que reproduzirei, noutro post) relativa à lavagem das mãos; outra, aquela que ilustra este post, sobre a “Gripe A(H1N1) – Como se pode proteger a si e aos outros”.

… Resta-me propor aos leitores do JSA que conjuguem activamente (no presente do indicativo) o verbo proteger: - Eu protejo, tu …

2009-07-01

Pina Bausch


Pina Bausch. A emoção do gesto, o movimento. Água.


…………………………….
Ilustração: Fotografia por Jochen Viehoff recolhida em Pina Bausch Tanztheater Wuppertal