2005-10-14

Programa Nacional de Saúde Ambiental – Seminários


Pela Circular Informativa Nº. 44/DFI, de 05/09/06, da Direcção-Geral da Saúde, tomámos conhecimento da realização de dois seminários de carácter formativo sobre o Programa Nacional de Saúde Ambiental.

O
PNS (Plano Nacional de Saúde), prevê a elaboração do Programa Nacional de Saúde Ambiental com a finalidade de desenvolvimento de estratégias, e actividades, que contribuam para a eliminação de riscos ambientais e a obtenção de ganhos em Saúde

(…) Neste sentido a Direcção Geral da Saúde através da Divisão de Saúde Ambiental, propôs-se promover formação neste domínio sob a forma de dois seminários, a saber:

1º Seminário: Relação Saúde e Ambiente, dias 24 e 25 de Outubro, no auditório do INFARMED, sito no Parque da Saúde na Av. do Brasil nº53, em Lisboa.

2º Seminário: Saúde Ambiental: Que Perspectivas?, dias 9 e 10 de Novembro no auditório do INFARMED, sito no Parque da Saúde na Av. do Brasil nº53, em Lisboa.

(…) Os Seminários destinam-se a Dirigentes e Técnicos, dos Serviços de Saúde: Administrações Regionais de Saúde, Centros Regionais de Saúde Pública, Sub-Regiões de Saúde e Instituto Nacional de Saúde – Dr. Ricardo Jorge, sendo convidados os representantes das Direcções Regionais da Saúde dos Açores e da Madeira.

As inscrições são feitas em impresso próprio que deve ser enviado correctamente preenchido até à data limite de 17 de Outubro p.f., para a Direcção-Geral da Saúde - Divisão de Saúde Ambiental, Alameda D. Afonso Henriques nº. 45, 1049-005 Lisboa
”.

Aparentemente, os TSA (e os MSP) que exercem a profissão nos Serviços de Saúde Pública dos Centros de Saúde não poderão participar naqueles seminários. Hoje estamos a 14 de Outubro e ainda não recebemos a Circular Informativa. Portanto, talvez não seja só aparentemente…

3 comentários:

Bloteigas disse...

Olá colega!!

Aconselho-o vivamente a ver o que se passa no "seu" serviço.
A circular que refere (44/DFI de 06.09.05) já aqui chegou faz tempo (Centro de Saúde da Póvoa de Santa Iria).

Das duas uma: (i) ou o centro de saúde onde exerce funções demora a fazer a distribuição da informação que recebe ou, (ii) a DGS decidiu exclui-lo, logo à partida, de uma eventual participação nos seminários. ;)

Saudações ambientais,
Vítor Manteigas

susana_daniel disse...

O Colega pode sempre manter-se informado sobre esses e outros seminários na página da Direcção Geral de Saúde (como eu faço) ou nas "Coisas" de Saúde Ambiental, que com a colaboração de outros colegas tentarei manter sempre actualizada.
A mim, o que mais me revolta, é um facto que não o afecta. Pois sendo de uma Região de Saúde diferente da de Lisboa e Vale do Tejo basta enviar a ficha de inscrição dentro do prazo estipulado para ser seleccionado.
No que diz respeito aos profissionais pertencentes à Sub-Região de Lisboa e Vale do Tejo o ofício de divulgação do seminário refere: “Por imposição das actuais regras de co-financiamento FSE, apenas poderão integrar no grupo de formandos, 10% dos candidatos provenientes da Região de Lisboa e Vale do Tejo.”
Isto aplica-se para todos os seminários e cursos organizados pela Direcção Geral da Saúde que sejam subsidiados pelo FSE. Tentei apurar o motivo destas “actuais regras”, junto da Direcção Geral da Saúde, e foi-me dito que o motivo é já ter havido um grande número de formações para os profissionais de Lisboa. Quando decorreram essas formações? Se as realmente as houve passaram-me ao lado. Ou teriam sido só destinadas a profissionais de outras áreas específicas?
Tomemos um exemplo, (que não sei se acontecerá, mas de certo sim), suponhamos que o seminário se realiza num auditório de 300 lugares e só 100 profissionais fora da RLVT se inscrevem, só 10 profissionais (10 %) de LVT é que serão seleccionados, com base em critérios que ninguém conhece, o que perfaz 110 profissionais numa sala com 300 lugares. Por que não ocupar todos os lugares? Para não estragar a qualidade do ar?

teessea disse...

Susana Filipe:

Diariamente, ao princípio da manhã ou ao fim da tarde, eu consulto as “Coisas” e o Fórum. Mas confesso que não sou tão regular a consultar o site da DGS.

Acções de Formação

Nesta matéria, as regras de co-financiamento do FSE não me preocupam muito. O que me preocupa, é saber que sem financiamento do FSE não há formação…

A Região de Lisboa e Vale do Tejo integra o distrito de Santarém.

Vítor Manteigas:

Não somente por razões ecológicas, eu sou favorável a que progressivamente se abandone o suporte de papel para a divulgação de informação. Mas o papel continua a ser o meio mais comum para a difusão das Circulares.

Até hoje, não recebi a Circular que menciono.